Condão

*Autor, infelizmente, não identificado.


Eu fiz um encanto. 
Daqueles que duram mais tempo que um verão inteiro. 
Fiz uma mandinga “da braba”, com tudo o que sobrou no chão da sala depois de nos entregarmos a ele.

Essa magia foi feita pra embebedar teu desejo.

Um feitiço que a primeira vista é rasteiro, leve, beira a suavidade do sono tranquilo, mas nas vistas seguintes ele vai se entranhando nas fibras abertas do teu íntimo, misturando à tua carne uma gana infrene, tornando o meu corpo o motivo maior do teu salivar, de sede, tornando tudo o que constrói 'o meu' aquilo que mais balança tuas pernas em público.
A mágica vai se tornando mais forte com o passar dos dias... Tem dias que meu cheiro visitará teu travesseiro logo cedo e, por isso, o café te fará sorrir sozinha. Outros, minha pele passará em tua lembrança como um refrão antigo, quando tocares outra textura surgida entre as luzes apagadas da boemia, então eu me farei presente.
Por vezes estarei entre os teus parágrafos perdidos nos bancos dos ônibus, num suspiro de alívio depois de descalçar um dia difícil ou mesmo em cada gota de um banho feito na temperatura certa, em cada uma daquelas gotas quem têm a delícia de te experimentar devagar.

Eu fiz um encanto. 
Daqueles que duram mais tempo que um inverno inteiro. 
Fiz uma feitiçaria “da boa”, com tudo aquilo que sobrou do chão da sala dentro dos meus dias seguintes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pitacos